quinta-feira, 9 de setembro de 2010

A vida tem destas coisas!


Todos tivemos um professor que nos marcou de alguma forma durante o nosso percurso escolar. Pela fisiologia, maneira de falar, gestos um tanto ao quanto duvidosos, forma de vestir, simpatia, arrogância ou outra coisa qualquer, provavelmente existe alguém que ainda hoje recordamos. E também eu relembro uma pessoa que tão cedo não será esquecida…
Era na aula de Geografia. Os primeiros (chicos-espertos) a chegar eram os mais inteligentes e sentavam-se nas mesas do fundo, enquanto os últimos teriam de ficar com os primeiros lugares da sala.
Penso que a professora nunca percebeu o motivo deste comportamento e, admito, nem eu percebia antes de me sentar naquela mesa, naquele traumatizante dia. Ela falava, falava e falava ainda mais. Com o passar do tempo, ia-me sentindo um pouco molhada, assim como a mesa, os cadernos e o meu colega do lado se deparavam com o mesmo. Não a julgo pela falta de contenção dos líquidos salivares, como é óbvio, mas que não deixava de ser constrangedor, lá isso! Talvez este não seja um bom motivo para que eu recorde esta senhora, porque no fundo não deixava de ser atenciosa connosco. Mas, uma coisa é certa: ela ficou na história das suas turmas.
Por mais estranho que possa parecer, no início de cada ano lectivo ainda me corre o pensamento toda esta situação. Provavelmente, é um dos motivos pelos quais me sento nos últimos lugares da sala e se querem um bom conselho, aqui fica: pelo sim e pelo não, façam o mesmo!

6 comentários:

Luh disse...

Conheci alguns do género mas nada tão dramático! ahah

-Joana disse...

Ahaha! xD
Eu por acaso costumo ficar mais para a frente...
Mas que belo texto, sim senhora!

Martinha disse...

Também me costumo sentar mais para a frente da sala... Mas também já apanhei uma professora que lá deixava os seus líquidos salivares na mesa e nos cadernos dos alunos. :P

Rosie disse...

comigo era mais o stor de matematica dos meus ultimos dois anos... o homem tinha um hálito... de fugir! completamente! e depois ainda lá tinha mais o tabaco na mistura... o que ainda fazia pior..
então o problema de toda a turma era, quando tinhamos duvidas.. perguntá-las ao stor.. todos evitavamos isso porque já sabiamos que ele se ia chegar e falar mesmo para cima de nós. E tentar conter a respiração durante muito tempo... bem,é complicado :P

Bells disse...

Também tive um prof que salivava tipo cão. Era mesmo nojento!

beijinhos

Maria Mirtilo disse...

O meu prof de História era igualzinho..e tive uma prof de matemática que inclusivé cheirava a "velho". Mas os que recordo são os do secundário(só alguns!), é que a relação entre aluno-professor torna-se diferente, amadurecendo ao longo desta etapa para um estado de cumplicidade.É provável que esteja muito nostálgica por os ter deixado (repito alguns!) à tão pouco tempo.

P.S: desculpem o comentário enfadonho!